quinta-feira, 7 de março de 2013

Papel alumínio

Química na cozinha

Muita gente acredita que há um lado certo do papel alumínio para embrulhar os alimentos antes de assá-lo. Normalmente, pensa-se que o lado brilhante deva ficar voltado para o alimento, afinal ele

“refletiria” melhor o calor e ajudaria no processo. Puro engano. Não faz diferença que lado do papel alumínio se usa, seja qual for a finalidade. Ele tem um lado fosco e outro brilhante puramente em função de seu processo de fabricação. Nos estágios finais de enrolar-se o metal, duas folhas são enroladas juntas, como um sanduíche, para economizar tempo. Onde houve contato entre elas e os rolos polidos, elas saem brilhantes. Do outro lado, saem um tanto foscas.


Pode não haver um lado certo de usar o papel alumínio, mas há uma situação em que se deve ter cuidado. Por exemplo, se você preparou uma lasanha com molho de tomate em uma assadeira de inox e resolveu guardá-la coberta com papel alumínio, você poderá ter construído uma bateria elétrica sem saber. Isto é, se o papel alumínio estiver em contato com a assadeira, e o molho de tomate com ambos, nos pontos de contato do molho com o alumínio, este será corroído e se dissolverá no molho. Isso se deve ao fato do molho de tomate ser condutor de eletricidade e por que os átomos de ferro da assadeira irão roubar elétrons dos átomos de alumínio do papel. O papel alumínio será dissolvido onde o molho torna a transferência alumínio-para-ferro possível.

fonte: http://ciencia.hsw.uol.com.br/ciencia-na-cozinha4.htm 


Postar um comentário